Virada do Samba realiza 2ª edição com programação 100% feminina, online e gratuita

No dia 2 de dezembro, Dia Nacional do Samba, vão ao ar os shows de Leci Brandão, Fabiana Cozza e muito mais.



Fabiana Cozza - Créd. Nego Júnior


Em 2 de dezembro é celebrado o Dia Nacional do Samba - e é também a data escolhida para a transmissão da Virada do Samba - 2ª edição. A partir das 19h, todo o Brasil pode assistir, gratuitamente, a shows de mulheres ícones do gênero como Tia Surica, Leci Brandão, Fabiana Cozza e o Samba de Dandara convidando Nilze Carvalho e Raquel Tobias.


O Bar Samba foi o local escolhido para as gravações e as transmissões vão acontecer nas páginas da Muda Cultural e Samba em Rede (ambas no YouTube e Facebook), além da Fita Amarela (YouTube), Raiz do Samba (Facebook) e Repique de Mão (Facebook).


Esta edição da Virada do Samba começa com a apresentação de Tia Surica da Portela, pastora e matriarca da famosa escola de samba carioca que, por sua vez, é acompanhada do violonista, arranjador e diretor musical Paulão 7 Cordas. Nesta ocasião, eles apresentam o repertório do Manacéa, um dos grandes baluartes portelenses.


Na sequência vem a cantora, poeta, escritora e pesquisadora Fabiana Cozza, que apresenta repertório de sua vasta carreira. A festa segue com o Samba de Dandara, grupo que utiliza o samba para empoderar e exaltar as mulheres sambistas - que convida as veteranas Nilze Carvalho, cantora, instrumentista, compositora e produtora, e Raquel Tobias, cantora e compositora. Para encerrar a jornada em grande estilo, Leci Brandão canta grandes sucessos de diversos momentos de sua carreira e da história do samba.


A Virada do Samba é apresentada pelos mestres de cerimônia Moisés da Rocha, conhecido por seu importante trabalho no programa "O Samba Pede Passagem", na Rádio USP FM, e Claudinha Alexandre, colunista ao lado de Moisés, além de apresentadora do programa Papo de Bamba (BR Brazil web).


“É um privilégio receber neste palco mulheres que ajudaram a escrever a história do Samba, como Leci Brandão e Tia Surica, e outras que têm tratado com tanto respeito o gênero, como é o caso da Fabiana Cozza, Nilze Carvalho e o agrupamento do Samba de Dandara”, diz o idealizador do evento, Ítalo Azevedo, sobre a programação online e feminina.


Esta edição da Virada do Samba é realizada pela Muda Cultural e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. O projeto, viabilizado via ProAC-ICMS, conta com o patrocínio da Cachaça 51 e apoio do Samba em Rede.


“A Cachaça 51 existe para destilar os melhores momentos da vida - e um deles é o samba, ícone de nossa cultura. A 2ª edição da Virada do Samba, exclusiva para mulheres e apresentada por grandes artistas, é uma possibilidade única de aproveitar ocasiões especiais”, declara Luciano Sadi Andrade, Head of Marketing da Cia Müller de Bebidas.



Leci Brandão - Créd. Nego Júnior


Combate à Covid-19

Toda a equipe presente nas gravações, bem como o artístico, será testado com Antígeno-PCR antes de entrar em estúdio. No local haverá rígido protocolo sanitário e um técnico em segurança do trabalho, garantindo o cumprimento das medidas.


CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

2 de dezembro, a partir das 19h

  • Tia Surica da Portela, acompanhada de Paulão 7 Cordas

  • Fabiana Cozza

  • Samba de Dandara convida Nilze Carvalho e Raquel Tobias

  • Leci Brandão



Tia Surica e Paulão 7 Cordas - Créd. Nego Júnior



Sobre a Muda Cultural


A missão da Muda Cultural é qualificar a experiência de vida das pessoas e expandir suas potencialidades por meio da promoção da arte e da cultura.

Há mais de dez anos no mercado cultural, a Muda atua na gestão de investimento social privado e no desenvolvimento de projetos através das leis de incentivo, sendo o elo entre marcas e seus públicos de interesse.

Tendo como principal ativo uma extensa rede de colaboradores e parceiros, a Muda oferece uma atuação capaz de transitar entre os universos artísticos, da produção e da gestão cultural, incluindo concepção, curadoria de conteúdos e planejamento.


Sobre a Cachaça 51


A Companhia Müller de Bebidas, com 62 anos de história, é a maior e mais importante fabricante de cachaça do Brasil e do mundo. É, também, a única a possuir certificados de padrão internacional de gestão da qualidade e gestão da área ambiental.

Além disso, seu principal produto, a cachaça 51, eternizada com o slogan “uma boa ideia”, é a única do segmento de destilados com a outorga de MARCA DE ALTO RENOME, reconhecida pelo INPI.

A empresa foi fundada em 1959 por Guilherme Müller Filho, um brasileiro de origem alemã, na cidade de Pirassununga, no interior de São Paulo, com a produção e comercialização da cachaça 51. Desde então, a empresa vem investindo continuamente em qualidade para tornar-se uma referência no segmento.

A companhia alcançou a autossuficiência e controle total do processo produtivo ao comprar uma fazenda em Porto Ferreira, onde montou uma agroindústria, batizada de Unidade Lageado, para o cultivo de cana-de-açúcar.


Virada do Samba

Projeto viabilizado pelo ProAC-ICMS

Patrocínio: Cachaça 51

Realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa


SERVIÇO:

Virada do Samba

2 de dezembro

A partir das 19h

Transmissão gratuita nas páginas:

Facebook Muda Cultural

YouTube Muda Cultural

Facebook Samba em Rede

YouTube Samba em Rede

YouTube Fita Amarela

Facebook Repique de Mão

Facebook Raiz do Samba

Classificação: Livre

Patrocínio: Cachaça 51

Realização: Muda Cultural

Site | Instagram | Facebook | Linkedin


5 visualizações0 comentário